11 de abr de 2009

China


CHINA
Oremos para que os 1,33 bilhões de chineses possam proclamar abertamente que Jesus Cristo é o Senhor 
“E toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.” (Fp 2.11.)

Capital: Pequim. 
Localização: extremo sul do continente asiático.
Idioma: Mandarim (oficial) e dialetos regionais (principais: min, vu, cantonês). 
Religião: sem religião 40,2%, crenças populares chinesas 28,9%, budismo 8,5%, ateísmo 8%, cristianismo 8,5% (independentes 7,7%, outros 0,7%), crenças tradicionais 4,4%, islamismo 1,5%. 

China e seu contexto espiritual
A China tem a maior população do planeta e também uma das civilizações mais antigas do mundo. O nome do país tem origem na dinastia do imperador Qin Shi Huang (221-206 a.C.) que significa “Reino do Meio”, pois os chineses mais antigos acreditavam que o China estava no centro do mundo. Apesar de ter oficialmente um governo comunista, a China é governada por homens e não por sistemas ou leis. Isso quer dizer que as ações do governo são ditadas por seus governantes de acordo com a vontade deles. 

Desde a década de 50, os cristãos enfrentam perseguições na China. Alguns missionários chegaram a ser expulsos do país, e muitos líderes foram enviados para prisão ou campos de trabalho. O objetivo do governo é manter estabilidade e poder. As perseguições são resultado do grau de perigo que o governo enxerga em cada grupo religioso. 

As pessoas só podem professar sua fé se estiverem dentro de igrejas registradas e aprovadas pelo governo chinês. É proibido evangelizar menores de 18 anos ou fazer qualquer tipo de evangelização pelas ruas. Os pastores e líderes religiosos que não cumprem essas determinações correm risco de serem presos, torturados e sentenciados a campos de trabalho forçado. Mesmo assim, o crescimento da igreja na China é algo surpreendente. A perseverança de cristãos, líderes e missionários têm sido inspiração para que a igreja proclame sua fé em Jesus Cristo. Louvemos a Deus por essas pessoas que colocam suas próprias vidas em risco por amor ao Evangelho.

China é o alvo de nossas intercessões. Clamemos: 
- Para que o presidente da China, Hu Jintao, e seu governo recebam de Deus sabedoria para que as pessoas possam falar abertamente de Jesus Cristo;
- Pelos pastores, líderes, cristãos e missionários para serem unidos e fortalecidos pelo Espírito Santo; 
- Para que as pessoas tenham acesso à Bíblia Sagrada e possam conhecer a graça maravilhosa de Deus;
- Para Deus quebrar o conformismo, o complexo de inferioridade e qualquer desânimo dos crentes chineses;
- Para o Senhor levantar recursos financeiros à igreja para que possam visitar todas as localidades habitadas da China;
- Para que a economia chinesa, uma das maiores do mundo, não seja motivo de desespero, mas sim, uma forma de levá-los a crer que Jesus Cristo é o único provedor daquele povo. 


Extraído do site www.lagoinha.com

Um comentário:

  1. Esse tipo de informação mal chega as igrejas, os líderes das igrejas no Brasil deveriam preocupar-se também com as ovelhas que estão sofrendo em outros países, mas ao contrário, não apóiam nem com a mobilização das pessoas para intercederem. Graças a Deus uma parte dos pastores de igrejas não pregam somente bênçãos financeiras, mas também ensinam os ovelhas a intercederem, a apregoar o evangelho vivo de Jesus Cristo, o que é também uma obra missionária.

    ResponderExcluir