6 de jul de 2011

Série Santidade- Avareza, descubra se você é avarento!

“De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro, pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar; por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos. Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição,

pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos.” 1Timóteo 6: 6-10


“Ordene aos que são ricos no presente mundo que não sejam arrogantes, nem ponham sua esperança na incerteza da riqueza, mas em Deus, que de tudo nos provê ricamente, para a nossa satisfação. Ordene-lhes que pratiquem o bem, sejam ricos em boas obras, generosos e prontos a repartir. Dessa forma, eles acumularão um tesouro para si mesmos, um firme fundamento para a era que há de vir, e assim alcançarão a verdadeira vida.” 1 Timóteo 6:17-19



Avareza: Ávido por dinheiro, amor desregrado por dinheiro, por riqueza.Desejo desordenado por qualquer bem.Todo objeto de desejo que se torna para nós, um objeto de obsessão, pode ser classificado como avareza.

A avareza está relacionada ao amor e ao dinheiro (1tm 6:10)

O dinheiro é um objeto que não tem vida, mas ele ganha vida. Assim como Jesus disse que não podemos servir a Deus e ao dinheiro.

O dinheiro reivindica lealdade, fidelidade, quer ser servido por nós. O dinheiro passa a ter a, e a dar vontade. Por trás do dinheiro existe um poder agindo e esse simples objeto, vira uma potestade. Que vai tentar nos controlar, vai tentar ser “senhor” de nossas vidas e vontades.

Dinheiro não é neutro. Neutro é copinho de café usado, saco de pão.

Ninguém em sã consciência passa por uma nota de R$ 100,00 jogada no chão e deixa lá, mas logo a pega, diferentemente do que faria com o copinho de café.

Tudo que tem valor tem poder, e tudo que tem poder perder sua neutralidade. Portanto dinheiro não é neutro.

Avareza é o pecado que nos empurra a buscarmos o que não temos e tentar preservar o que temos a qualquer custo.

Quando temos a necessidade de posse: “isso é meu”, “isso é minha”

São frases dignas de um avarento.


ü Quais as conseqüências da avareza?

  • Acontece uma confusão de valores:

De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro” 1tm 6-6

Troca-se a piedade pelo dinheiro

Troca-se a piedade pelas coisas

Troca-se a vida correta pelas posses

  • Perda do senso de eternidade:

pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar” 1tm 6-7

Nos concentramos no “aqui” e “agora”.

  • Um altíssimo grau de exigência para o contentamento:

por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos” 1Tm 6-8

Quem é satisfeito, tendo apenas o que comer e o que vestir?

Nós somos seres que possuem desejos. E a nossa fome não é só de pão e o nosso frio não é só o do corpo.

Existe uma fome e frio da alma, que não é apenas um pedaço de pão e não é qualquer abrigo que nos dá o senso de satisfação. Mas o apóstolo Paulo nos diz que o amor ao dinheiro nos torna vulneráveis ao ilícito. Aqueles que querem ficar ricos caem em tentação. Caem em armadilhas e se tornam reféns de desejos descontrolados e nocivos.

Salmos 73 nos ensina muito. O salmista descreve que quase caiu para conseguir as mesmas coisas. Mas viu que não valia a pena.

  • Sofrimento e destruição:

O amor ao dinheiro leva os homens a mergulharem na ruína e na destruição. E faz com que pessoas se atormentem com muito sofrimento.

  • A perda da fé:

Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé” 1 Tm 6-10

Sabe como a gente se desvia da fé?

Quando a gente encontra atalhos, desvios, saindo do caminho reto, tentando encontrar rotas alternativas e convenientes.

Quando começo a tentar justificar o que é ilícito é lícito. Quando tentamos encaixar os nossos desejos descontrolados, numa pauta de compromisso e fidelidade a Deus.

Quando nos pegamos pensando: “todo mundo faz, não é pecado porque não é escandaloso”.

Assim vamos nos desviando, e assim de pequenos e pequenos desvios já não encontramos o caminho. Quem era exemplo para mim de fidelidade eu começo a chamar de “conservadores”. Assim vou me desviando da fé.


Vivemos numa sociedade competitiva e egocêntrica. E assim caímos nesse mercado do consumo. Temos dentro de nós uma falta e acreditamos que dentro de nós será suprida pela próxima compra.

O amor ao dinheiro não é o amor pelo objeto “fim” e sim pelo objeto “meio”. Porque através dele eu consigo algo. Exemplo o ditado popular: o dinheiro não traz a felicidade, manda buscar.

O dinheiro me confere poder para eu conseguir chegar a algum lugar. Lugar esse, que acredito vai matar a minha fome, suprir a minha falta.

Por que o amor ao dinheiro é pecado?

O amor ao dinheiro é pecado porque:

_ Gera idolatria. Deus saiu de foco, você tem que escolher qual a sua fonte de satisfação.

_ É pecado porque conspira contra a generosidade. Não reparto com ninguém. Tipo: “uns com tanto e outros com tão pouco”.

............

ü Quais são os pecados “filhos da avareza”?

· Arrogância e prepotência.

O rico acha que tudo pode. Rico prepotente e rico arrogante parece até pleonasmo. Encontrar um rico humilde é muito difícil.

Mas existem pobres que tem tanto amor ao dinheiro quanto o rico e assim, também se tornam arrogante e prepotente.

....

Quando você pega alguma coisa que é penúltima e coloca no status de última, você caiu no pecado da idolatria.

Aquilo que é último na sua vida é aquilo que dá sentido na sua vida.

Isso que é último só pode ser Deus.

Namorada, trabalho, casa, dinheiro só podem ser penúltimos, porque se eu as colocar em último e as perder o sentido da vida se vai.

A única coisa que eu não posso viver sem é Deus.

A avareza tem um senso de falta, e assim convivo com a escassez, cultura de falta. Exemplos:

“Fica no telefone com sua irmã, e não tem tempo pra mim”

“Fica com as crianças e eu? Como fico?”

“Como você contou o seu segredo para aquela pessoa e não para mim?”

Isso é mentalidade de falta, avareza, mesquinhez.

....................

ü O oposto da avareza é a generosidade.

Na matemática de Deus, os recursos se multiplicam quando compartilhados e doados, não quando retidos. Na matemática de Deus, quem tem mais é quem mais dá, não é quem mais retém.

No amor não se faz conta e sim se doa... quando se faz conta, a avareza entrou.


Téo Reis - @Teo_Reis

Nenhum comentário:

Postar um comentário