24 de jan de 2017

O Evangelho de João - Dia 17

Dia 17 - Jo. 12

Paz irmãos neste décimo sétimo dia eu gostaria de falar sobre:
"Então os lideres decidiram também matar Lázaro..." - Jo. 12:10

Atualmente, cerca de 215 milhões de cristãos são perseguidos por causa de sua fé em Jesus. Isso faz que os cristãos sejam o grupo religioso mais perseguido do mundo.
Essas são informações do Portas Abertas.

Portas Abertas ou Open Doors é uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países onde existe algum tipo de proibição, condenação, execução ou ameaça à vida das pessoas ou à sua liberdade de crer e cultuar Jesus Cristo.
Na Coreia do Norte, por exemplo, é proibido ser cristão. Todos os cidadãos são obrigados a adorar somente o presidente do país Kim Jong II. Quem assume a identidade cristã é punido com morte ou prisão em campos de trabalhos forçados.
Anualmente o Portas a Abertas atualiza uma lista que traz os 50 países com maior grau de perseguição aos seguidores de Jesus.
Esta lista é dividida por níveis de Perseguição:

Perseguição Extrema - As leis do país tiram toda a liberdade do cristão. Isso quer dizer que por lei, qualquer pessoa é proibida de seguir a Jesus. A conversão ao cristianismo é proibida por conta de ameaças vindas do governo ou de grupos da sociedade. Nesses países os cristãos são agredidos fisicamente ou mortos por sua fé, podem ser presos, interrogados, torturados e mortos por se recusarem a negar Jesus.

Perseguição Severa - Nesses países não ha leis quanto à pratica da religião, Mas há perseguição por parte do governo, família e sociedade. Por exemplo, pessoas podem ser forçadas a deixar suas casas, empregos, ou estar sempre temerosos da violência que pode lhes sobrevir por ser um cristão. Não há leis que garantem liberdade de culto e prática da fé.
Evangelizar pode ser considerado crime nesses países.

Perseguição Alta - As leis do país permite a prática de outras religiões, mas os cristãos são perseguidos em todas a esferas. Assim nesses países pode ser difícil para um cristão conseguir uma vaga em escolas para seus filhos, tirar documentos como passaporte, por exemplo, há perseguição para realizar atividades comunitárias, como culto, reunião de oração, batismo, aula bíblica, entre outros. A opressão pode vir de diversos lados: da família, dos vizinhos, do governo, da polícia.
Muitas pessoas estavam agora crendo em Jesus por causa da ressurreição de Lázaro. O seu testemunho estava mudando vidas.
Por conta disto Lázaro passou a ser ameaçado de morte.
Não havia o que ele pudesse fazer. Ele viveu o milagre de Deus. Foi algo além da sua escolha e ele não podia negar aquilo que se tornou notório.
Antes de Lázaro, o cego de nascença do cap. 9 foi expulso da sinagoga por testemunhar sobre seu milagre. Tempos depois, no período dos Atos dos Apóstolos, Estevão é martirizado por testemunhar sobre o Messias.
Essas pessoas tiveram um encontro com Jesus. Tiveram experiências milagrosas que não poderiam negar, pois foi algo tão impactante que se tornou parte deles, suas vidas. Negar essas experiências era como negar sua própria existência.
E ainda hoje, nos nossos tempos, há milhões pessoas como Lázaro, Estevão, o homem cego de nascença, entre outros, que sofrem perseguições, ameaças, torturas, e são mortos por seguirem a Cristo. Sào mortos porque um dia tiveram uma experiência com Jesus que mudou completamente suas vidas. E que é impossível de negar, mesmo que custem suas vidas.
Sempre que pensamos na Igreja Perseguida uma pergunta vem a nossa mente, e nós, o que temos feito com a nossa liberdade?

Conheça mais sobre a Igreja Perseguida e sobre o Portas Abertas em

www.portasabertas.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário