5 de fev de 2017

Lista Mundial da Perseguição aos cistãos em 2017



Você pode ajudar orando e também investindo com doações ou comprando excelentes livros

Do lado esquerdo da tela você encontra Livros que quando você compra, você ajuda a Missão Portas Abertas a fortalecer e consolar a Igreja Perseguida, além é claro de tornar conhecida a causa da Igreja Perseguida, pois segundo dados do Portas Abertas cerca de 0,04% dos cristãos brasileiros está ciente do drama vivido por nossos irmãos.

Mais informações no site da Missão Portas Abertas 

Série: O Evangelho de João por André Evangelista

Amados, nessa série iremos meditar nos textos do Evangelho Segundo João, o Discípulo Amado, também chamado de "Filho do Trovão".

Trata-se de um compilado dos textos ministrados por nosso amigo André Evangelista. Missionário Formado pelo Centro de Treinamento Missionário da Igreja de Deus no Brasil, residiu em Londres por dois anos, esteve trabalhando na Alemanha com Igreja Local em 2016 e atualmente faz parte do Departamento de Missões da Igreja de Deus no Brasil em Perus - SP.

Abaixo o Link de cada postagem;


O Evangelho de João - Dia 1: A escuridão e a Luz

O Evangelho de João - Dia 2: Venham e vejam

O Evangelho de João - Dia 3: Transformação

O Evangelho de João - Dia 4:  Água ou vinho?

O Evangelho de João - Dia 5:  Apego às coisas deste mundo

O Evangelho de João - Dia 6:  A mulher samaritana

O Evangelho de João - Dia 7 : O Pão da Vida

O Evangelho de João - Dia 8: Alcançar a cura

O Evangelho de João - Dia 9 : "Palavras de Vida Eterna"

O Evangelho de João - Dia 10: "Quem tem sede beba!"

O Evangelho de João - Dia 11 : Julgamento

O Evangelho de João - Dia 12 : As Bem Aventuranças

O Evangelho de João - Dia 13 : Quem é ele para que eu creia

O Evangelho de João - Dia 14 : O homem que era cego fora curado

O Evangelho de João - Dia 15 : "Minhas ovelhas ouvem minha voz"

O Evangelho de João - Dia 16 : "Eu sou a Ressurreição e a Vida"

O Evangelho de João - Dia 17 : Primeiros cristãos perseguidos

O Evangelho de João - Dia 18 : "Se eu não os lavar, você não terá parte comigo"

O Evangelho de João - Dia 19 : Crer, obedecer e praticar

O Evangelho de João - Dia 20 : Amigo

O Evangelho de João - Dia 21 : A Videira Verdadeira


O Evangelho de João - Dia 21

Paz irmãos neste vigésimo dia eu gostaria de falar sobre:

João cap. 15:1-17

Quando o agricultor tem um empenho de plantar alguma árvore frutífera seu objetivo maior é colher os seus frutos.

Algumas passagens do Antigo Testamento indicavam que a nação de Israel era uma videira plantada de Deus.

Em Jeremias 2:21 diz que a videira plantada se tornou em videira corrompida.

Semelhantemente diz a parábola da vinha má de Isaías cap. 5.

A Nação de Israel era videira que foi transplantada da escravidão do Egito para o solo frutífero de Canaã e sua função era dar bons frutos ao mundo.
Jesus usa esta metáfora para dizer que ele é a Videira Verdadeira, ou seja, a videira que cumpre efetivamente o simbolismo que Israel apenas representava.

Jesus é a Videira Verdadeira. Ele sempre dará Bons Frutos. Essa é a certeza que temos: o Agricultor sempre colherá excelentes frutos dessa Videira.

Entendo que os frutos que Jesus deu foi fazer a vontade daquele que o enviou, e os seus frutos eram submissão, humildade... frutos que o levou a morte, e a morte de Cruz.

Jesus é a Videira Verdadeira e nós somos os ramos.
*Que tipos de frutos esperamos dar que não seja igual aos frutos dele?*
É claro que os seus frutos incluem justiça e santidade, mas não se limita a esses. O principais frutos que esta Videira dá são realmente frutos de submissão, obediência e de total dependência.

Neste capítulo 15 diz que esses são os frutos que trazem glória ao Pai. E da mesma forma esses são os frutos que devemos produzir.
Jesus disse que só é possível produzir tais frutos estando nele. Frutos que são gerados se suas palavras estiverem em nós e se guardarmos os seus mandamentos.

A palavra mandamento também significa uma ordem particular.

É necessário que nós entendemos qual é esta ordem particular.

Não é que Deus tem uma ordem diferente para cada pessoa. Deus só tem uma ordem! E essa foi a ordem Jesus que guardou de seu pai. Essa foi a vontade do pai que Jesus veio executar.

A vontade de Deus é salvar o que havia se perdido.

Esta é única obra que Deus quer que façamos, e para faze-la necessita submissão, obediência e total dependência.

Em tudo isso está implícito abrir mão das minhas vontades e fazer a vontade de Deus.

Tendo isto sob o contexto, conseguimos entender que dar frutos significa cumprir a Grande Comissão. Porém eu só consigo fazer parte desta quando eu compreendo a necessidade de ser submisso a Jesus.

Por fim, Jesus disse que quando eu obedeço a seus mandamentos esse fruto gerado me traz uma alegria, uma alegria que me completa. Essa alegria plena só vem em obedecer a suas ordens.

O Evangelho de João - Dia 20

Paz irmãos neste vigésimo primeiro dia eu gostaria de falar sobre:
João cap. 15:15

Alguma vez você já ajudou algum amigo com uma tarefa pesada? Tirar um entulho, encher uma laje?

Quando estamos ajudando um amigo a intenção é  que queremos de alguma forma aliviar o peso. Fazemos de bom grado para ver o bem do nosso amigo.

A recompensa não é financeira/material. São coisas que fazemos sem cobrar nada. 

A recompensa para nós é a satisfação em ajudar, cooperar, de receber a amizade, de ter comunhão e intimidade. 

Ajudar um amigo vem de um amor voluntário.

Diferente é quando trabalhamos. O trabalho é basicamente para receber dinheiro. Trabalhamos por uma exigência, para receber algo em troca.

“Já não os chamo servos... mas os chamo amigos”

Essa é uma relação de intimidade. Não é uma relação de chefe/empregado, mas é uma relação de amizade e comunhão.

Porém, algumas vezes nos pegamos fazendo coisas para Deus como se fosse uma obrigação, sem estar com um coração voluntário.

Neste caso com a mente de empregado exercendo coisas sem prazer, e a única recompensa que esperemos receber é o salario que vai acabar em poucos dias. 

O que isso quer dizer, fazemos coisas que pode trazer uma satisfação, mas que acaba rápido e não nos completa. 

Tudo porque estamos com uma mente condicionada a isso. Uma mente de escravo.

No Evangelho de Lucas conta a história do Filho Pródigo. Aquele que pediu sua herança para o pai, pois queria curtir sua vida. (Lc. cap 15)

Mas esse rapaz tinha um irmão que ficou em casa servindo seu pai. 

Esse irmão tinha uma mente de servo e não de filho. 

Agia como um empregado, trabalhando sem nenhuma intimidade com seu pai.

Intimidade nos faz estar mais próximos, a pedir coisas não pediríamos a nos apropriar de coisas que só uma amizade intima pode proporcionar.

João estava sentado ao lado de Jesus, reclinou no seu peito e ouviu algo que Jesus contou só pra ele.

Todos estavam na mesa comendo, mas só foi falado ao pé do ouvido para o mais intimo.

O filho estava dentro de casa, mas trabalhava como um escravo, sem nenhuma intimidade.

Como podemos mudar essa realidade? Jesus já nos disse: Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu mando.

É uma relação de obediência por um amor voluntario. Obedeço porque eu o amo. E assim a comunhão se faz, e os segredos das riquezas insondáveis de Deus me serão contadas.

Ó Senhor, ensina-me os teus caminhos!

Faze com que eu os conheça bem.

O Evangelho de João - Dia 19

Paz irmãos neste décimo nono dia eu gostaria de falar sobre:

João cap. 14

Jesus falou com um grupo de judeus, duas vezes, sobre o mesmo assunto.

Jesus disse a eles: "Vocês procurarão por mim, mas não me encontrarão. Vocês não podem ir para o lugar onde eu estarei”.

Uns pensavam que Jesus iria para terras distantes pregar para judeus gregos (Jo.7:35).

Outros perguntavam se Jesus iria se matar. (Jo 8:21).

Definitivamente eles não conseguiam compreender o que Jesus estava dizendo.

O interessante que pela terceira vez Jesus diz mesma coisa. Só que agora ele diz aos seus discípulos. E eles, assim como os judeus, não entenderam nada.

Eram palavras de difícil compreensão. Porém mesmo sem entender o que Jesus estava dizendo, seus discípulos ficaram com ele. Eles decidiram crer.

As mesmas coisas de difícil compreensão eram ditas tanto a multidão como aos discípulos. No entanto, para os eles Jesus respondia suas perguntas. Ao fim, Jesus explicava para eles o que queria dizer.

Era assim com as parábolas. Veja o que é dito em Marcos 4:11 - A vocês Deus mostra o segredo do seu Reino, mas os que estão de fora do Reino tudo é ensinado por meio de parábolas.

Jesus explicava as parábolas aos discípulos.

Essa é a intimidade que os discípulos têm com seu Mestre. Coisas difíceis são exigidas, mas com a certeza não ficarão sem respostas e auxílio.

E o capítulo de nossa meditação hoje começa assim. Jesus explicando, respondendo as perguntas dos discípulos. Na verdade, Jesus estava respondendo para seus discípulos as perguntas que os judeus fizeram: Para onde ele vai? Para terras distantes? E Jesus responde: Eu estou indo para casa de meu Pai que há muitas moradas, e vou voltar para buscar vocês. E o único caminho para chegar até ele é estando comigo, ouvindo minhas palavras.

A explicação final e clara vem para aqueles que se mantiverem com Jesus até o fim. As verdades do Reino e a intimidade de Cristo é dado àqueles que estão ao seu lado, ouvindo suas palavras e aguardando as suas promessas.

A promessa do Espírito da Verdade que nos ensinaria todas as coisas.

Essa promessa foi cumprida e é recebida para aqueles que creem.

Crer é a chave.


Crer, Obedecer e Praticar!

26 de jan de 2017

O Evangelho de João - Dia 18

Dia 18 - Jo. 13
Paz irmãos neste décimo oitavo dia eu gostaria de falar sobre:
"Em seguida pôs água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-loscom a toalha." - Jo. 13:5

Imagine que você tivesse que fazer uma longa caminhada a pé através de uma estrada sinuosa, estreita, de terra, ou pavimentada com pedras...
Para isso era necessário ter seus pés protegidos. Mas era inevitável que ao longo dessa cansativa viagem seus pés ficarem sujos, machucados ou doendo.
Talvez nesses momentos pudesse ser a hora de cuidar dos pés para continuar o restante da caminhada.
Para lavar os pés ou cuidar das feridas de uma maneira eficaz é importante a ajuda de uma outra pessoa.
Penso também que os nossos pés são uma parte restrita do nosso corpo. Já pensou nisso?
Não é comum alguém ficar pegando nos seus pés. A não ser uma pessoa que seja bem íntima.
Gostaria de trazer isso para esta reflexão hoje.
Podemos dizer que nossa caminhada cristã é também um longo percurso por uma estrada nada fácil. Um percurso que nos desafia a cruzar barreiras, um caminho que mostra quem somos de fato. E ao longo da caminhada os problemas, dificuldades lutas internas e externas nos fazem acumular machucados, calos, feridas e sujeiras nos nossos pés.
Essa é uma caminhada longa. E de tempos em tempos precisamos ter os pés lavados.
Lavar os pés aqui nos diz sobre vencer essas dificuldades que nos assola. Vencer os desafios que muitas vezes nos faz pisar na poça de lama e sujar os pés. Pense na sua vida cristã, pense nas suas dificuldades e barreiras que há tempo você precisa vencer.
Muitas vezes são coisas que não conseguimos vencer sozinhos. É necessário que alguém íntimo, próximo que esteja disposto a servir com uma bacia com água, pronto a lavar os pés.
Pronto a pegar nos pés do seu próximo, e mexer nas suas feridas, nos pés sujos e com al cheiro.
Para que isso aconteça depende de nós também. É necessário que deixemos que nossos pés sejam lavados. É necessário permitirmos que peguem nos nossos pés e os limpe, mesmo que doa.
Somente assim com os pés limpos e sarados é que continuaremos nossa caminhada.
Lavar os pés representa a confissão da nossa vulnerabilidade, como pecadores, o reconhecimento das nossas falhas e arrependimento dos nossos pecados para mantermos a comunhão com Cristo.
É necessário que tenhamos nossos pés lavados.

Jesus respondeu: “Se eu não os lavar, você não terá parte comigo”.

24 de jan de 2017

O Evangelho de João - Dia 17

Dia 17 - Jo. 12

Paz irmãos neste décimo sétimo dia eu gostaria de falar sobre:
"Então os lideres decidiram também matar Lázaro..." - Jo. 12:10

Atualmente, cerca de 215 milhões de cristãos são perseguidos por causa de sua fé em Jesus. Isso faz que os cristãos sejam o grupo religioso mais perseguido do mundo.
Essas são informações do Portas Abertas.

Portas Abertas ou Open Doors é uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países onde existe algum tipo de proibição, condenação, execução ou ameaça à vida das pessoas ou à sua liberdade de crer e cultuar Jesus Cristo.
Na Coreia do Norte, por exemplo, é proibido ser cristão. Todos os cidadãos são obrigados a adorar somente o presidente do país Kim Jong II. Quem assume a identidade cristã é punido com morte ou prisão em campos de trabalhos forçados.
Anualmente o Portas a Abertas atualiza uma lista que traz os 50 países com maior grau de perseguição aos seguidores de Jesus.
Esta lista é dividida por níveis de Perseguição:

Perseguição Extrema - As leis do país tiram toda a liberdade do cristão. Isso quer dizer que por lei, qualquer pessoa é proibida de seguir a Jesus. A conversão ao cristianismo é proibida por conta de ameaças vindas do governo ou de grupos da sociedade. Nesses países os cristãos são agredidos fisicamente ou mortos por sua fé, podem ser presos, interrogados, torturados e mortos por se recusarem a negar Jesus.

Perseguição Severa - Nesses países não ha leis quanto à pratica da religião, Mas há perseguição por parte do governo, família e sociedade. Por exemplo, pessoas podem ser forçadas a deixar suas casas, empregos, ou estar sempre temerosos da violência que pode lhes sobrevir por ser um cristão. Não há leis que garantem liberdade de culto e prática da fé.
Evangelizar pode ser considerado crime nesses países.

Perseguição Alta - As leis do país permite a prática de outras religiões, mas os cristãos são perseguidos em todas a esferas. Assim nesses países pode ser difícil para um cristão conseguir uma vaga em escolas para seus filhos, tirar documentos como passaporte, por exemplo, há perseguição para realizar atividades comunitárias, como culto, reunião de oração, batismo, aula bíblica, entre outros. A opressão pode vir de diversos lados: da família, dos vizinhos, do governo, da polícia.
Muitas pessoas estavam agora crendo em Jesus por causa da ressurreição de Lázaro. O seu testemunho estava mudando vidas.
Por conta disto Lázaro passou a ser ameaçado de morte.
Não havia o que ele pudesse fazer. Ele viveu o milagre de Deus. Foi algo além da sua escolha e ele não podia negar aquilo que se tornou notório.
Antes de Lázaro, o cego de nascença do cap. 9 foi expulso da sinagoga por testemunhar sobre seu milagre. Tempos depois, no período dos Atos dos Apóstolos, Estevão é martirizado por testemunhar sobre o Messias.
Essas pessoas tiveram um encontro com Jesus. Tiveram experiências milagrosas que não poderiam negar, pois foi algo tão impactante que se tornou parte deles, suas vidas. Negar essas experiências era como negar sua própria existência.
E ainda hoje, nos nossos tempos, há milhões pessoas como Lázaro, Estevão, o homem cego de nascença, entre outros, que sofrem perseguições, ameaças, torturas, e são mortos por seguirem a Cristo. Sào mortos porque um dia tiveram uma experiência com Jesus que mudou completamente suas vidas. E que é impossível de negar, mesmo que custem suas vidas.
Sempre que pensamos na Igreja Perseguida uma pergunta vem a nossa mente, e nós, o que temos feito com a nossa liberdade?

Conheça mais sobre a Igreja Perseguida e sobre o Portas Abertas em

www.portasabertas.org.br